EU ACREDITO, EU ACREDITO, EU ACREDITO.

​Há mais de um mês não escrevo neste espaço.  O motivo: meu espanto e desânimo diante da exacerbada imbecilização da nossa sociedade nos últimos meses.  De fato, depois do julgamento do denominado “Mensalão do PT”, as pessoas adotaram um pensamento único, uma visão unânime dos fatos: em vez de perceberem o que de fato ocorreu (e ocorre em praticamente todas as campanhas de todas as eleições: caixa dois), abraçaram “raciocínios” no mínimo errados, distantes da ciência jurídica, que classificaram aquelas ações como atos de corrupção.

​Não vou nem apelar para Nelson Rodrgigues, com o fim de qualificar essa unanimidade nacional, que endeusa o Ministro Joaquim Barbosa (que negou quase tudo que aprendi na faculdade), ao mesmo tempo que enxovalha o brilhantíssimo jurista Ricardo Lewandowski.

​Esse quadro é muito triste.

​É muito triste constatar como os grandes meios de desinformação do Brasil conseguiram destruir grande parte da sanidade mental nacional.  Somando-se o poder sem limites desses órgãos (que transformam papel e ondas eletromagnéticas em lixo) à pouca ou nenhuma educação (principalmente histórica) do nosso povo, temos um caldo de incultura selvagem, no qual a extrema-direita, em especial a paulista, deita, rola e desenrola sobre a nação loucuras dignas de Pinel.

​É muito solitário e difícil, nos dias de hoje, pensar por conta própria, sem repetir o que os grandes meios de desinformação ditam.  Nas suas páginas, nos seus programas de TV e de rádio, o discurso é um só: morte ao governo, ao PT e ao Lula!  A seção de cartas dos leitores do Imprensa Livre não foge a essa regra: salvo raríssimas exceções, é um desfile insano de impropérios, num discurso tosco da direitaça rancorosa.

​O mais triste é que mesmo pessoas que só deveriam agradecer ao governo do PT por suas conquistas, mesmo essas pessoas repetem o discurso vazio da direita mais brucutu de todos os tempos.  Quantas pessoas, há oito anos, saíam do mercado com cinquenta gramas de apresuntado, enquanto hoje levam um presunto inteiro para casa.  Quantas pessoas, há oito anos, só tinham como destino a entrada de serviço; hoje, cursam faculdade com financiamento federal.  Mesmo assim, muitas dessas pessoas repetem o que a direita dita.  Que triste…

​Outro dia, quando eu explicava a um amigo que o denominado “Mensalão do DEM” ocorrera antes do que já foi julgado, bem como envolveria muito mais dinheiro, ele soltou isto: “se não saiu na Veja, na Folha ou na Globo, não é verdade, eu não acredito”.

​Eu também não acredito…

– – – – – – – – – 

P.S.: Eu leio e comento estes e outros textos de minha autoria em www.odair.com.br.   Leia, assista e participe!

P.S. 2 – O que precisa ser feito, mesmo, é alterar a legislação eleitoral, para que se ponha um fim ao caixa dois.

P.S. 3 – Não sei quem é o gênio responsável pela instalação dos muros…digo das novas lombadas em São Sebastião, mas – com certeza – ele deve estar recebendo convites da Europa, dos Estados Unidos e do Japão para fazer por lá a mesma obra que está conseguindo fazer por aqui.




Publicado originalmente no “Imprensa Livre”, em janeiro de 2013.

Talvez você também goste!
Baú do Odair

Publicações similares

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.
Menu