ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE




E chegaram ao Mar Vermelho. A multidão se apavorou: e agora ?
Moisés, porém, sempre mantendo a calma, levantou seu braço e mandou o Mar se abrir…
-Um momento, Moisés ! Você tem idéia do impacto ambiental que a abertura do Mar poderá causar ? Onde está o EIA/RIMA ?
Alguns meses e toneladas de papéis, de ONGs e de discursos depois, a multidão resolve dar a volta (e que volta!) para chegar à Terra Prometida.
E chega o dia em que a fome passa a roncar no estômago de todos.
Moisés avisa que do céu virá o maná, que…
-Um momento, Moisés ! Esse tal de maná tem carimbo do SIF ? Não é transgênico, é ?
Enquanto eram aguardados os laudos técnicos faltantes, o povo começou a irrigar o deserto, começou a plantar no deserto, começou a colher no deserto. Deixaram o maná para lá…
De volta ao caminho, as provisões acabaram chegando ao fim. O povo voltou a reclamar da fome.
Moisés, então, já escaldado com o rolo que o maná havia causado, avisou que codornizes viriam do céu para satisfazer a fome de todos. E foi o que aconteceu, e…
-Moisés, as codornizes são animais que, com certeza, devem ser protegidos pela lei ambiental. Quem tocar numa delas poderá ser processado, condenado, quem sabe até mesmo à morte!!!
O povo continuava com fome, mas agora ainda precisava conviver com milhares de codornizes voando livremente entre eles: era caca de codorniz para todo lado…
Correu, então, uma fofoca, que acabou ganhando as manchetes de todos os jornais. Diziam que Moisés havia abandonado mulher e filhos, antes de liderar a fuga do Egito.
Surgiram campanhas de moralidade em defesa da família, ONGs fundadas para defender o casamento, ameaças de processo.
Mas Moisés deu uma entrevista, na qual acabou conquistando a simpatia de todos…e tudo foi esquecido. Surgiram, aliás, novas fofocas nada honrosas sobre a ex-mulher que Moisés teria.
Moisés avisou que estavam perto da Terra Prometida.
-Essa Terra Prometida é um loteamento aprovado, Moisés ?



O calor era insuportável, o Sol estava exatamente na perpendicular sobre aquele homem que caminhava de volta para o Egito. Mas, mesmo sob aquele calor, mesmo estando sozinho na imensidão de areia e luz, mesmo estando no caminho de volta à escravidão, aquele homem estava feliz.
Era Moisés !

P.S.1 : O texto acima já tem mais de uma década e já saiu no Imprensa Livre. Como continua – lamentavelmente – atual, aqui está ele de novo, a pedidos.
P.S. 2: Nunca se esqueça de que povo é povo: nasce povo, cresce povo, morre povo.
P.S.3: Pior do que povo, só povinho politicamente correto, metido a se fazer de bonzinho, de vítima, que acha que os errados são sempre os outros. Para esse tipo de gente, não existe solução, nem Jesus salva: só nascendo de novo.




Publicado originalmente no “Imprensa Livre”, em fevereiro de 2011.

Talvez você também goste!
Baú do Odair

Publicações similares

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.
Menu