PASSOS PARA VERDADEIRAMENTE SER ou CURSO INSTANTÂNEO PARA SAIR DA MATRIX

Questione cada uma das “verdades” que seus antepassados lhe transmitiram. Faça esse questionamento com firmeza, serenidade, desprendimento. Então jogue fora as “verdades” que constatar que não passam de palavras que seus antepassados disseram que eram “verdades”.

Examine o livro que você aprendeu a considerar como sendo sagrado. Questione sua autenticidade, sua coerência. Busque suas ligações com outros livros. Então jogue fora cada página que não passar de uma página de um livro que disseram para você que era sagrado.

Volte-se para o fundador da religião que você professa. Questione se ele foi, de fato, original. Busque saber como era o mundo antes dele. Então jogue fora esse líder. Das duas, uma: ou ele era um falso profeta (devendo, portanto, ser jogado fora), ou ele era (e talvez ainda seja) um verdadeiro Ser de Luz (e um Ser de Luz iria querer que você se livrasse de qualquer apego, até do apego por Ele). Portanto, jogue-o fora.

Olhe para o seu deus. Tente vislumbrar seu contorno, ouvir sua respiração, sentir seu toque. Então jogue fora esse seu deus. Se você não conseguir vislumbrar seu contorno, ouvir sua respiração ou sentir seu toque, é sinal de que ele é um falso deus, mera imaginação: só pode merecer ser jogado fora. Mas se você viu sua silhueta em cada um de todos nós, se ouviu sua respiração no permanente fluir da vida que nos envolve, se sentiu sua carícia ao ter seu rosto tocado pelo vento, então Deus, você, o vento, as plantas, os animais somos todos Um. Se somos Um em todos e em cada Um, que valor pode ter aquele deus que foi ensinado a você, separado de tudo, de todos? O melhor a fazer é jogar fora esse seu deus.

Procure todos os eventuais senhores que fazem de você um escravo. Eles podem assumir várias formas: vaidade, fama, dinheiro, poder, gula, reputação, drogas, conhecimento, ciência, tecnologia e muitas outras. Investigue se essas escravidões podem trazer verdadeira, intensa, suave e permanente Paz ao seu coração. Em caso negativo, jogue fora as correntes dessas escravidões.

Lembre-se, então, do seu passado. Das duas uma: ou é areia que voou com o vento, ou é areia que se fez rocha. Em nenhum desses casos você poderá mudar o passado. Portanto, jogue-o fora.

Imagine, então, o seu futuro. Constate que ele não passa de nuvens feitas de nada. Umas têm formato de felicidade; outras, de medo. Mas todas elas são feitas de nada. Jogue esse futuro fora, então.

Embora ele estivesse presente em todos os passos anteriores, este passo é dedicado especialmente a ele: encare o apego. Encare o apego às coisas que dizem que são boas, às coisas que dizem que são más. Encare o apego às pessoas, às coisas, à sua identidade, àquilo que faz você ser considerado uma pessoa diferente das demais. Jogue fora, então, todos os seus apegos. Jogue fora até o apego ao desapego.

Agora, sentado, deitado, de pé, caminhando, nadando, onde estiver, simplesmente Seja. Sem se importar com o onde, o quando, o quem, o como, o porquê, simplesmente Seja.

Então você sentirá que tudo é Verdade, que o horizonte é o Livro da sua vida, que seu próximo é o Messias, que você é Deus. Então, nessa silenciosa explosão de consciência, seus apegos derreterão, o passado e o futuro escoarão pela cada vez mais profunda fenda do agora. Você não será escravo, mas também não haverá mais senhores.

Talvez você sorria, talvez dance, talvez peça uma pizza, talvez compre uma Ferrari.

Mas quem estará sorrindo, dançando, pedindo ou comprando será um verdadeiro Ser.

Mas quase ninguém consegue…que pena…




Publicado originalmente no “Imprensa Livre”, em janeiro de 2011.

Talvez você também goste!
Baú do Odair

Publicações similares

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.
Menu